Serviceline
Atendimento ao Cliente da Divisão de Sensores Industriais
Rede de Atendimento - Divisão de Proteção Contra Explosão

Componentes fieldbus na primeira fábrica de EST de Eni em Sannazzaro dè Burgondi, Itália

Detalhes do projeto


Cliente | Eni

Projeto | Implementação de componentes de fieldbus na primeira fábrica de EST

Local | Sannazzaro dè Burgondi, Itália

Conclusão | Outubro de 2013


Relatório do projeto

O cliente

Durante um projeto importante, estabelecer novos procedimentos pode apresentar desafios. A combinação de inovação com segurança e confiabilidade é um requisito essencial no setor de processamento de óleo e gás. Em maio de 2011, a Eni, uma das maiores empresas do setor de energia junto com engenheiros de fábrica da Saipem, estabeleceu a base para a primeira fábrica da EST em Sannazzaro dè Burgondi na Itália. EST significa “Eni Slurry Technology” e é um novo procedimento que foi desenvolvido para converter materiais residuais em produtos valiosos. Com a EST, o refino agora usa e renova óleo cru e a fábrica também é usada para pesquisas e desenvolvimentos.

Apenas uma tecnologia de ponta é capaz de atender aos exigentes requisitos deste tipo de aplicação. 

Os requisitos

A Eni e a Saipem definiram como o ponto focal uma solução sustentável. Apesar do fato de que a instalação estaria espalhada por várias áreas da fábrica, uma integração geral ainda precisava ser garantida. Os componentes abaixo foram necessários:

  • Sistema de Controle Distribuído
  • Parada de Emergência
  • Dispositivos de Proteção Contra Incêndio

Com base nesses requisitos, a tecnologia fieldbus pareceu ser a solução ideal para funções de status, alarme e diagnóstico na fábrica. Ainda, a Eni e a Saipem tiveram que encontrar parceiros que pudessem estabelecer a integração de todos os dados em um único sistema.

A solução

A Yokogawa e a Pepperl+Fuchs ofereceram uma solução adequada para esta aplicação. Sistema de Controle Distribuído, Parada de Emergência e Dispositivos de Proteção Contra Incêndio estão totalmente integrados na estrutura do sistema, instalados pela Yokogawa. Em torno de 15.000 sinais I/O foram cabeados permanentemente e 5.500 instrumentos fieldbus são operados através de 650 segmentos.

Alessandro Malberti, gerente de produto da Yokogawa Itália, explicou: "A solução abrange todos os sistemas: SDCS, ESD e F&G. Isso facilita a troca direta de informações, onde apenas um barramento redundante é usado para conectar todos os sistemas. A topografia usada pela Yokogawa está baseada na integração dos sistemas de controle Centum VP (SDCS) com o sistema ESD ProSafe RS e inclui todas as funções de controle e segurança".

Os componentes da Pepperl+Fuchs garantem que os segmentos fieldbus H1 de BASE estejam funcionando corretamente. Caixas de junção para proteção do segmento pré-cabeadas para Zona 2 oferecem conexões intrinsecamente seguras para os instrumentos até o tronco de alta potência. Este conceito permite cabos de longas distâncias e altas contagens de dispositivos por segmento ao mesmo tempo. Eles conectam os dispositivos de campo protegendo o processo e garantindo maior disponibilidade, além de uma proteção contra curto-circuito. Devido à tecnologia fieldbus de BASE, os produtos de terceiros podem ser integrados facilmente. Por exemplo, instrumentação da Metso, Emerson, Vega, Biffi e Auma estão integrados na refinaria.


DMA
DMA

O Módulo de Diagnóstico Avançado (DMA), desenvolvido e fabricado pela Pepperl+Fuchs, permite uma rápida instalação dos segmentos fieldbus. Durante a operação, o diagnóstico da camada física do DMA possibilita uma detecção rápida de falhas. O sistema especialista interpreta as notificações e os sinais da instalação do fieldbus, traduz os mesmos em palavras compreensíveis e até mesmo sugere uma solução para a equipe de manutenção. Com esses recursos, o DMA é compatível com a manutenção oportuna e disponibilidade completa dos segmentos fieldbus para Eni. O trabalho de manutenção não é mais feito de maneira preventiva, mas apenas quando uma demanda real estiver sido diagnosticada.

"Acreditamos que é nossa responsabilidade garantir o funcionamento ordenado dos segmentos fieldbus de BASE por um longo período. É por esse motivo que escolhemos a solução oferecida pela Pepperl+Fuchs", afirmou o gerente de produtos da Yokogawa. "O Módulo de Diagnóstico Avançado produzido pela Pepperl+Fuchs nos permite implementar um monitoramento contínuo, mesmo para a tecnologia de instalação integrada no sistema de gerenciamento de ativos."

Na Sannazzaro dè Burgondi os sistemas integrados e a tecnologia fieldbus garantem alta disponibilidade, fluxo de dados abrangentes e baixos custos com manutenção.